PROCESSO LEGISLATIVO

PROCESSO LEGISLATIVO

Post sobre Processo Legislativo.
FASE INTRODUTÓRIA
INICIATIVA 
ato que dá início ao processo de elaboração da lei. É exercida com a
apresentação de um projeto de lei. Pode ser:
Ampla (geral, concorrente – vide art. 61, “caput”).
Popular: 61, § 2º
Privativa (reservada, exclusiva – vide arts. 61, § 1º e
84, III e XXIII, 93, 99, 128, § 5º, 61)
FASE CONSTITUTIVA
1.- DELIBERAÇÃO
PARLAMENTAR- 
discussão e votação do projeto.
Pressuposto:
quórum p/ instalação (art. 47 – maioria absoluta)
Discussão:
comissões/ plenário
Votação: maioria
simples (lei ordinária – art. 47); maioria absoluta (lei complementar – art.
69)
Concluída a votação: projeto vai à Câmara revisora (vide
art. 65):
 – Se aprova –
projeto vai para o Executivo (sanção/veto)
 – Se emenda –
projeto volta à casa de origem.
 – Se rejeita –
projeto é arquivado (vide art. 67).
Não tem prazo para se completar (regra).
Exceção: pedido de urgência (art. 64).
Não mais existe aprovação por decurso de prazo.
2.- DELIBERAÇÃO
EXECUTIVA
SANÇÃO / VETO (art. 66) – ambos fundam-se em juízo de
valor sobre: constitucionalidade do projeto (forma) e interesse público
(mérito).
Sanção é a aquiescência do Chefe do Executivo aos termos do
projeto.
Prazo: 15 dias (do recebimento – art. 66, § 1º).
Pode ser total ou parcial (art. 66, § 2º), expressa
ou tácita
(art. 66, § 3º).
Veto – Chefe do Executivo discorda dos termos do projeto.
Deve ser motivado.
Pode ser total ou parcial.
Em qualquer caso, o projeto retorna ao Legislativo para
nova apreciação em sessão conjunta, oportunidade em que o veto será aceito ou
rejeitado (art. 66, §§ 4º, 5º e 6º).
O veto encerra ideia de supressão, nunca de acréscimo.
Não existe veto de palavra ou trechos de palavras (art.
66, § 2º).
FASE COMPLEMENTAR
1-     PROMULGAÇÃO –
enunciação solene, feita ao público, da existência da lei. É a partir dela que
a lei passa a existir (toma a data da promulgação).
Prazo: 48h.
Regra: cabe
ao Presidente.
Exceção: Se
não o fizer nos casos de sanção tácita ou rejeição de veto, cabe,
sucessivamente, ao Presidente do Senado e ao Vice Presidente do senado (art.
66, § 7º).
Importante:
lei promulgada depois, revoga lei promulgada antes, mesmo que esta última seja
publicada depois.
2-
PUBLICAÇÃO
 – é o ato de comunicação
da lei. Finalidade: torná-la de todos conhecida. Com ela a lei ganha obrigatoriedade
(tem que ser por todos obedecida). Assim, a promulgação torna a lei executável.
Mas é a publicação que a torna obrigatória para todos.
http://www.raul.pro.br/didatic/proc-legis.htm

Comentários